A ler é que a gente se entende
A ler é que a gente se entende
AE de Vidigueira

Estamos conscientes que para materializar e consolidar os hábitos de leitura devemos estar muito atentos às coordenadas espácio-temporais em que pretendemos desenvolver o projeto, bem como às condições específicas dos contextos económico e sociocultural do concelho que definem as peculiaridades dos nossos alunos.

Para conhecer estes aspetos foi fundamental a análise macro contextual do nosso ambiente externo (restrito e alargado), a partir da análise PEST e da análise interna, SWOT, efetuada pela equipa de autoavaliação do Agrupamento em 2016. Se por um lado o contexto socioeconómico do concelho é muito desfavorável e os índices de escolaridade são muito baixos, por outro, este Agrupamento vê como uma oportunidade a denominação da “Leitura como desígnio nacional” e a força que este epíteto à leitura pode criar na forma de agir dos encarregados de educação.

Baseados no diagnóstico do Agrupamento, nos constrangimentos do concelho e da nossa população escolar e nas oportunidades já enumeradas, encetamos a implementação de alguns projetos de leitura, com o intuito de trabalhar em prol da primeira meta do nosso PE (“intensificar a qualidade das aprendizagens promovendo o sucesso educativo”).

É sabido que para promover as aprendizagens e a qualidade das mesmas é necessário: aprender a ler, “saber ler”, gostar de ler e, posteriormente, intensificar a prática da leitura de textos de carácter informativo e literário, com estrutura e organização da informação mais complexas. Estas três premissas implicam que o trabalho em torno da leitura abranjam todos os anos de escolaridade, desde o Pré-escolar até ao 9º ano, bem como o trabalho de retaguarda dos pais/encarregados de educação.

Para que esta vertente seja maximizada, pretendemos também estender a leitura à restante comunidade educativa, nomeadamente assistentes operacionais, professores e encarregados de educação.

"Debemos ser conscientes de que animar a ler es una labor calada, metódica y constante; que pone el énfasis de su acción en el día a día , en la actividad continuada en el aula y fuera del aula, más que en actividades espectaculares. Equipo Peonza (2001). El rumor de la lectura

Diário de Bordo

 

Atividade em destaque - 2020/21

Juntos.com

Juntos.com

  

Meta:

Encurtar as assimetrias culturais, pedagógicas e de acesso a bens culturais que se notam nos alunos de etnia cigana.

Objetivos:

  • Demonstrar aos alunos de etnia a importância e a funcionalidade da aquisição de conhecimento para o seu quotidiano e interação social. 
  • Promover e regular positivamente a interação sociocultural do grupo intervencionado com a comunidade educativa.
  • Proporcionar processos de organização de trabalho pedagógico diferentes dos vividos em sala de aula.

Público-Alvo:

Três primeiros anos de projeto - 22 alunos de etnia do 2º, 3º e 4º ano (Escola sede e EB1 de Vila de Frades)

Descrição:

As atividades permanentes relacionadas com a leitura e escrita são estruturadas em oficinas semanais de uma hora por grupo e são orientadas pela professora bibliotecária.

Nestas sessões os alunos trabalham a literacia da escrita, a leitura e a oralidade, através de atividades lúdico-pedagógicas.

Exemplo de atividades:

  • Trabalhar o vocabulário – construção de um “ciganário” com palavras caraterísticas e utilizadas pela etnia, mas também vocabulário desconhecido destes alunos que vai surgindo nas suas leituras, ou palavras necessárias para melhorar um texto.
  • Aquisição de vocabulário para expressar cambiantes de sentido (o peso, o cheiro e a forma das palavras – atividade inspirada nos poemas “Limpa-palavras” de Álvaro Magalhães e “Porquê” de Teresa Martinho Marques;
  • Leitura em voz alta de várias tipologias de textos em diversos suportes;
  • A música cigana como pretexto para ler e escrever poesia;
  • Registo da minha vida (tradições por escrito)

Cada grupo é monitorizado duas vezes por mês, inicialmente pela professora bibliotecária, depois pelos próprios colegas. Este aspeto é muito importante porque ao avaliarem os colegas apercebem-se do que corre menos bem.

Nota: dos 22 alunos apenas três são leitores e sabem escrever.

Impactos:

Domínio da leitura e escrita: 

  • Aumento da confiança e da autonomia;
  • Redução do medo de errar;
  • Aumento da motivação, da concentração e da  competência de leitura;
  • Aumento do cuidado e do rigor na produção dos trabalhos;
  • Entusiasmo durante as sessões.

Domínio de competências sociais e cidadania:

  • Mudança positiva na forma como os alunos se comportam nas interações sociais, com uma tendência para se aproximarem mais do padrão de resposta assertiva após terem participado nas sessões;
  • Redução das respostas agressivas na comunicação interpares;
  • Redução das condutas com mais propensão para a passividade / inibição;
  • Aumento das condutas próximas do padrão assertivo.
Evidências:

Juntos.com - O projeto

Juntos.com - O projeto

 

Juntos.com - Atividades

Juntos.com - Atividades

logo
logo
2020 © Plano Nacional de Leitura
2020 © Plano Nacional de Leitura