Página Inicial > Leituras > Um livro por semana > Um livro por semana

Um livro por semana
Um livro por semana
Um livro memorável

Novas Cartas Portuguesas é uma obra literária publicada conjuntamente pelas escritoras portuguesas Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa, editada pela editora Estúdios Cor, em 1972.

Novas cartas portuguesas

 

Livro escandaloso ao tempo, apreendido pela polícia política e proibido em Portugal, mas mereceu grande apoio dos intelectuais portugueses e estrangeiros. As autoras ficariam conhecidas internacionalmente como “As Três Marias”.

in Portal Novas Cartas Portuguesas 40 Anos Depois

 

 

 

O livro manteve-se esgotado vários anos e em 2010 é reeditado pela editora D. Quixote numa bonita e cuidada edição, com prefácio de Maria de Lourdes Pintasilgo e anotações e organização de Ana Luísa Amaral. Esta é a nossa sugestão para leitura de fim-de-semana.

  

Novas cartas portuguesas

“A verdade menina Maria é este medo que a gente apanha quando para cá vem e não nos larga mais sempre a gastar o eito da gente. A coragem é pouca e fácil  para quem está longe e não ouve os tiros à roda do corpo à porfia de matar a vida de um homem.

Muitos já eu vi vomitarem  agachados e deitarem-se no chão tão  brancos como papel e temos de os arrastar à força para os tirar dali. É por tudo isto e pela tristeza que isto faz  que preciso de umas cartas de ânimo e assim pensei que a menina Maria não se importasse de me escrever e podiamos contar das nossas vidas que a da menina a servir também não deve ser muito alegre.”

Novas Cartas Portuguesas. (1972) Lisboa: Estúdios Cor. 1.ª ed.

 

 

 

 

“Sabei Senhora Mãe: nada do que é vosso me importa, nem pensamentos, nem costumes. Costumes que apesar de tudo e todavia, continuo a aceitar, de lei e cobardia, aceitando este estado onde de acordo com meu pai me pusesteis por homem não ter nascido e entrave fazer a meu irmão e minha irmã, de dote, podendo ela assim arranjar marido que a receba apesar de feia, não vos custando eu mais que parto e raivas acesas ao me saberdes por amada e possuída de corpo contra vossas ordens, mando, vontades; apesar mesmo de vossas ameaças.”

Novas Cartas Portuguesas. (1972) Lisboa: Estúdios Cor. 1.ª ed.


As Três Marias


“Há palavras boas e palavras más, palavras bonitas e palavras feias. A palavra Portugal é muito bonita mas a palavra Tranco não é. Há palavras que não dão com as coisas para que servem, Lua, por exemplo dá, não podia outro nome porque não era essa coisa, mas caderno não dá. Lembra inverno e inferno e os cadernos dependem, nem todos são horríveis, só o de matemática para mim. Folha também dá para coisas de mais, tem de ser folha disto e daquilo, do livro, a árvore, e de felandres, senão não se sabe, não se pode ser folha sòzinho. 

As palavras também servem para dizer e consolar ou sofrer. Essas não são uma a uma, como as que eu escrevi antes. São em frases, isto é, todas de seguida.”

Novas Cartas Portuguesas. (1972) Lisboa: Estúdios Cor. 1.ª ed.


Novas Cartas Portugueses


Conheça o projeto “Novas Cartas Portuguesas 40 Anos Depois” é um projeto que tem por objetivo criar uma rede transcultural e internacional em torno do livro Novas Cartas Portuguesa.

 

RTP Ensina

Este é o livro que desafiou a autoridade moral do regime nos anos 70. Destruído pela censura, passou a ser objeto de leituras clandestinas. Saiba mais no documentário da RTP Ensina.


Novas Cartas Portuguesas é um "livro mal-amado" em Portugal, afirmam as autoras na entrevista do Jornal Público.

 

Leia o artigo  - “As Três Marias: o antes, o depois e o impacto das Novas Cartas Portuguesas” – no sítio Comunidade Cultura e Arte.

 

 

Documentário  de Margarida Gil sobre  Maria Velho da Costa  - Fátima de A a Z, de Margarida Gil.

 

Sugestões de outros livros das autoras

 Casas Pardas Missa in Albis Myra 

 Anunciações Minha Senhora de Mim Poemas para Leonor 

 O mundo sobre o outro mundo O Círculo virtuoso Um imaginário europeu